-- Hora Certa:
PUBLICIDADE
PF tem 2 meses para fazer operações e concluir investigações contra Maggi
12/04/2018 - 13h49 em Politíca

O ministro da Agricultura Blairo Maggi é investigado por suspeita de receber R$ 12 milhões de executivos da Odebrecht para abastecer sua campanha eleitoral.

 

A Polícia Federal tem prazo de dois meses para realizar novas diligências e finalizar a fase de investigação contra o ministro da Agricultura e senador licenciado Blairo Maggi (PP), por suposto recebimento de propina no montante de R$ 12 milhões da Odebrecht, no período em que foi governador do Estado.

O novo prazo foi concedido pelo ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), na última sexta-feira (6), a pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR). Esta foi a segunda vez que a PGR solicitou prazo na ação que investiga o ministro, o primeiro pedido ocorreu em janeiro deste ano.

A Polícia Federal passou a investigar Blairo Maggi, após executivos da Odebrecht, os delatores Antônio Pacífico Ferreira e Pedro Augusto Carneiro Leão Neto, afirmarem que o ex-secretário de Fazenda Éder Moraes solicitou e recebeu R$ 12 milhões com o pretexto de contribuição para a campanha eleitoral de Maggi.

Os pagamentos foram descobertos nas planilhas encontradas no Setor de Operações Estruturadas do Grupo Odebrecht. Segundo os investigadores, no documento, o apelido de Maggi era “Caldo” uma referência a um dos segmentos empresarial do político.

A propina seria paga em troca da liberação de créditos que a Odebrecht tinha com Mato Grosso por conta de obras realizadas na década de 1990.

Maggi nega ter recebido qualquer tipo de doação da empresa.

 

Reporter MT

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!