data
-- Hora Certa:
Três são identificados em cena machista na Rússia. Policial sofrerá processo disciplinar
20/06/2018 09:14 em Esportes

Tenente Eduardo Nunes, de Lages (SC), é um dos homens que protagonizaram cena gravada em vídeo que tem causado revolta. Outro é ex-secretário de Turismo e um terceiro, empresário.

 

Aos poucos, o machismo de alguns torcedores brasileiros na Rússia começa a cobrar a fatura. Depois da grande repercussão – e do repúdio – do vídeo em que aparecem estimulando uma mulher, que não compreende português, a repetir frases como “essa é bem rosinha” e “b... rosa”, três homens já foram identificados.

Um é o tenente Eduardo Nunes, policial militar em Lages (SC), que está em férias no país da Copa do Mundo. Em nota divulgada nesta terça-feira (19), a PM de Santa Catarina afirma que “a corporação não corrobora com este tipo de atitude que é incompatível com a profissão e o decoro da classe, previsto no Regulamento Disciplinar e no Estatuto da PMSC, independentemente de estar em período de férias, folga de serviço ou qualquer outra situação de afastamento, devendo, portanto, responder por suas atitudes”. A corporação ainda diz que abrirá processo administrativo disciplinar para apurar a conduta do policial quando ele retornar da viagem

Outro identificado é Diego Valença Jatobá, ex-secretário de Turismo, Cultura e Esportes de Ipojuca (PE), condenado por falta de pagamento de pensão alimentícia à ex-mulher e também por mau uso do dinheiro público pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) de Pernambuco. No processo movido por sua ex-mulher, em 2014, a juíza Ana Emília de Oliveira Macedo, da 3ª Vara de Família e Registro Civil, chegou a requisitar o bloqueio das contas de Jatobá pelo não pagamento da pensão alimentícia.

Já a condenação pelo TCE de Pernambuco deu-se por irregularidade em contratos de 2012 da secretaria de Ipojuca. De acordo com o Tribunal, Jatobá infringiu o artigo 89 da Lei de Licitações, que aborda as circunstâncias em que a licitação é indispensável. As irregularidade constatadas se referem a contratação de artistas para shows em Porto de Galinhas, uma das praias mais famosas do Nordeste, pertencente ao município de Ipojuca. O processo está em andamento, após a prefeitura recorrer.

O site The Intercept Brasil trocou mensagem por aplicativo de celular com o terceiro homem identificado, o empresário piauiense Luciano Gil Mendes Coelho. Nascido na cidade de Jaicós, a 364 quilômetros de Teresina, ele aparece no vídeo vestindo uma camiseta preta e segurando o telefone celular.

Segundo o veículo, Luciano Coelho é ex-inspetor do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Piauí (Crea-PI) e "foi preso em uma operação que desarticulou esquema de desvio de dinheiro público por meio da fraude em licitações na prefeitura de Araripina", Pernambuco, em maio de 2015. "Através da análise dos quadros societários das empresas licitantes e vendedoras, ficou comprovado que as mesmas possuíam empregados domésticos e parentes dos principais envolvidos no esquema.".

Na troca de mensagens, o empresário pediu desculpas e disse que o uso de álcool foi responsável pela “brincadeira”. 

Repúdio

Nas redes sociais, artistas se pronunciaram repudiando o conteúdo do vídeo. “Achar graça nisso é ser cúmplice de um mau gosto sem perdão e uma atitude criminosa inclusive”, afirmou a cantora Zélia Duncan. Também cantora, Maria Gadú destacou o comportamento amistoso da mulher, envolvida numa cena grosseira sem perceber. “Essa mulher simpaticíssima desfrutava de amistosidade, doava generosidade anfitriã e foi açoitada pela podre misoginia brasileira. Machismo. Sexismo. Nojeira das mais pesadas”, criticou.

Tom semelhante foi adotado por Ivete Sangalo, que se disse envergonhada pela cena praticada pelos torcedores brasileiros. “Lamentável que muitos de um mesmo grupo participem deste papelão machista. Falta de lisura, de educação, de hombridade. Sinto vergonha por vocês, garotos.”

Rede Brasil Atual

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!