data
-- Hora Certa:
Armazém do Campo completa 2 anos de alimento saudável e política em SP
01/08/2018 10:12 em Meio Ambiente

 

Com cerca de 400 tipos de produtos, loja comercializa frutos da reforma agrária.

Nesta terça-feira (31), o Armazém do Campo completa dois anos de sua inauguração. O espaço, idealizado para a comercialização de alimentos com origem na reforma agrária popular, oferece também produtos orgânicos, que chegam a 80% dos alimentos oferecidos.

A loja foi criada pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), e também é local de debates, encontros culturais, lançamentos de livros e rodas de conversa, entre outros eventos.  

Ademar Paulo Ludwig Suptitz, coordenador do Armazém do Campo, conta como o espaço nasceu. "Para chegar no Armazém é importante lembrar que existiu todo um processo de luta pela terra no Brasil, e esta é uma luta árdua e difícil. E quando o trabalhador se dedica à terra, imediatamente vem o desafio: em qual local vamos vender os produtos?", conta. 

A criação do Armazém surgiu como resposta a esse questionamento. Suptitz pontua que as feiras da reforma agrária que ocorrem tradicionalmente uma vez por ano em São Paulo influenciaram também a decisão de abrir uma loja na cidade. 

Segundo ele, são quatro os objetivos do Armazém do Campo: o primeiro é possibilitar o acesso da sociedade aos frutos da reforma agrária; o segundo é firmar parcerias que fortaleçam agricultores familiares, assentados e cooperativas; o terceiro é ofertar alimentos orgânicos e, por último, é apresentar a dimensão da cultura que nasce com a comida.

Ao longo dos dois anos foram mais de 150 apresentações musicais, dez lançamentos de livros, oficinas diversas e peças de teatro.

Com o carrinho cheio de temperos, café, farinha de trigo, arroz e manteiga, a aposentada Maria do Socorro conta como vem ao Armazém desde o início.

Para ela, além da confiança de estar adquirindo um produto orgânico de qualidade, é positivo saber que o local é fruto do resultado da luta dos assentados da reforma agrária. "Aqui no Armazém do Campo a importância da gente consumir esses produtos é para reforçar e fortalecer ainda mais a luta dos trabalhadores sem terra, do Movimento Sem Terra. É maravilhoso isso!", comemora. 

Daniel Martinella Couto: "Vim atrás de produtos sem veneno para minha filha em fase de introdução alimentar". Imagem: Juliana Gonçalves

 

Além dos produtos comprados por Maria Socorro, o armazém oferece leite, geleias, farinhas, pães orgânicos e veganos, hortifruti, macarrão e bolos. 

Há também seis tipos de cachaças e cervejas artesanais e orgânicas, batizadas de Fora Temer!, Lula Livre!, Frida Khalo, A guerrilheira, entre outras referências políticas. 

Daniel Martinella Couto, publicitário que conheceu o Armazém recentemente, ainda não pode experimentar as cervejas. Ele foi atrás de frutas e legumes. 

O publicitário conheceu o local por indicação, já que procurava produtos sem veneno para sua filha, que iniciou o processo de introdução alimentar recentemente. "Além de ser um mercado que vende ideologia, vende saúde por uma boa causa. Estou curtindo muito, é a segunda vez que venho aqui na verdade, e os produtos sempre de qualidade, frescos e dou com toda a confiança para minha filha e com maior prazer". 

Programação

O Armazém do Campo tem uma programação comemorativa durante esta semana que inclui não só oferta de produtos, mas também debates, rodas de conversas e saraus. No sábado, dia 4 de agosto, haverá uma comemoração especial que se inicia na hora do almoço.

Além do Armazém do Campo, o MST gerencia a Loja da Reforma Agrária em Porto Alegre (RS), dentro do mercado municipal da cidade, e outra loja em Belo Horizonte (MG). 

A  novidade é a loja do Rio de Janeiro que será inaugurada no bairro da Lapa no dia 15 de setembro.

O Armazém do Campo está localizado no bairro dos Campos Elíseos, Alameda Eduardo Prado, 499, em São Paulo (SP), e funciona de segunda a sábado das 9h às 20h.

Edição: Diego Sartorato - Brasil de Fato

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!