data
-- Hora Certa:
Despejo de vinhaça em rios que desaguam no São Lourenço causa acidente ambiental em um dos mais importantes tributários do Pantanal e cuja gravidade precisa ser avaliada
01/08/2018 10:35 em Meio Ambiente

Ainda não estão devidamente dimensionados os estragos ambientais à fauna ictiológca dos cursos de água que caem no rio São Lourenço - um dos maiores tributários da Bacia do Pantanal - causados por despejo de vinhaça por uma usina localizada no município de Jaciara, no Sul do Estado. Equipes da Sema (Secretaria de Estado de Meio Ambiente) estão avaliando os danos.
 
A Sema-MT, por meio da Sala de Situação criada para monitorar o acidente ambiental ocorrido em Jaciara na última semana, coletou, nesta terça-feira (31.07), amostras de água do rio São Lourenço. O objetivo é analisar a qualidade do corpo d´água após contaminação por vinhaça do rio Tenente Amaral, que se encontra com o São Lourenço, na última quinta-feira (26).

Pescadores da região e trabalhadores da usina Zé Fernandes, em São Pedro da Cipa, relataram que a água do rio começou a se tornar turva desde segunda-feira (30.07). Até o momento, não foi registrada mortandade de peixes.

Para a avaliar se houve contaminação na região foram coletadas amostras do rio São Lourenço no encontro com o Tenente Amaral, na ponte e na barragem da usina e na ponte da comunidade São Lourenço. Na quarta-feira (01.08) serão coletadas amostras do encontro do São Lourenço com o rio Vermelho.

Durante sobrevoo realizado nesta terça-feira, os técnicos da secretaria identificaram que os efluentes percorreram aproximadamente 70 quilômetros até o rio São Lourenço. Em alguns pontos é possível notar a água em tom esbranquiçado e amarelado e a deposição de matéria orgânica no leito do rio e nos bancos de areia.

Embargo

No último sábado, a Sema expediu autos de inspeção, notificação, infração e termo de embargo para a Usina Porto Seguro, responsável por causar a poluição do Córrego Verde e do rio Tenente Amaral no município de Jaciara, em acidente ocorrido em 26 de julho. A contaminação dos recursos hídricos foi ocasionada pelo rompimento de uma das bacias de contenção da vinhaça, resíduo pastoso e malcheiroso que sobra após a destilação de cana-de-açúcar ou milho, para a obtenção do etanol (álcool etílico) ou açúcar.

Durante o trabalho de inspeção e diagnóstico desenvolvido pela equipe mutltidisciplinar da Sala de Situação criada para monitorar o caso, foi constatado irregularidades nas bacias de contenção e tratamento de efluentes, assoreamento do córrego, poluição de nascentes, destruição de vegetação nativa e contaminação de solo e recurso hídrico. As multas iniciais pelos crimes ambientais e descumprimento do embargo anterior somam R$ 5,7 milhões.

Alerta

A Sema-MT alerta para que a população não utilize o rio Tenente Amaral, em Jaciara, até que as análises comprovem a qualidade e balneabilidade da água. Tal medida visa assegurar a saúde dos moradores da região após o acidente ambiental. A qualidade do recurso hídrico será monitorada por meio da Sala de Situação e tão logo seja considerada adequada, informaremos à população.

A sala de situação que acompanha o caso é formada pelo Gabinete do Secretário de Estado de Meio Ambiente; Secretaria Adjunta de Licenciamento e Recursos Hídricos;  Superintendência de Infraestrutura, Mineração, Indústria e Serviços; Superintendência de Recursos Hídricos; Coordenadoria de Fiscalização de Empreedimentos; Coordenadoria de Indústria; Diretoria de Unidade Desconcentrada de Rondonópolis; Coordenadoria de Monitoramento de Qualidade Ambiental; Batalhão de Emergências Ambientais do Corpo de Bombeiro Militar (BEA - CBMMT); e comissão Estadual P2R2.

Página ùnica.

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!