data
-- Hora Certa:
Empresas têm 120 dias para retirar lixo aéreo
09/08/2018 - 8h55 em Cidades

Termo de compromisso prevê o reordenamento da estrutura de cabeamento aéreo existente na região central.

As empresas de energia, telefonia e internet têm o prazo de 120 dias para promover a retirada dos cabos inservíveis, também chamados de “lixo aéreo”, bem como a organização das fiações tanto de energia elétrica quanto de telecomunicação, existentes no Centro Histórico de Cuiabá. A medida faz parte de um termo de compromisso assinado entre a Prefeitura e a concessionária Energisa Mato Grosso. 

O documento prevê o reordenamento da estrutura de cabeamento aéreo existente na região central e faz parte de um conjunto de ações que visam melhorar a infraestrutura da capital. Segundo a prefeitura, a assinatura do documento é fruto de um constante trabalho de articulação e convencimento realizado pelo prefeito Emanuel Pinheiro junto à companhia de distribuição de energia elétrica. 

Com isso, a idéia do prefeito é que, tomando como ponto de partida a região central, Cuiabá ganhe um novo visual, a começar pela eliminação das chamadas “fiações mortas” e pelo processo de sistematização dos cabos ainda em utilização. Portanto, o procedimento contará também com a atuação das operadoras de telefonia, internet e TV a cabo que operam na cidade. 

De acordo com o termo de compromisso, a ação englobará o quadrilátero localizado entre as avenidas Tenente Coronel Duarte e Mato Grosso e as ruas Tenente Thogo da Silva Pereira e Estevão de Mendonça. “Inicialmente determinei a realização de um projeto piloto, promovendo a limpeza dos postes nessa área demarcada. Quero estender isso de maneira integral para Cuiabá, pois é uma situação que atinge todas as regiões. Mas é claro que para isso precisávamos dar esse primeiro passo”, disse Pinheiro por meio da assessoria de imprensa. 

Conforme o prefeito, o trabalho de reordenação contribuirá para a segurança do cidadão, extinguindo os riscos de acidentes causados pelo emaranhado de fios e cabos soltos nos milhares de postes do quadrante delimitado. “Essa é uma situação que vem envergonhando a nossa cidade e causa uma enorme insegurança à população, pois está sendo muito comum registrar acidentes com fios que enroscaram em bicicletas, motocicletas e pedestres. A minha cobrança é para que devolvam aquele visual lindo e charmoso do Centro Histórico, sem esse emaranhado de fiação, que representa um desrespeito ao cidadão”, cobrou. 

Com a assinatura do documento, a intenção é dar mais um importante passo rumo à eliminação da poluição visual na paisagem aérea urbana da capital. Com isso, conforme a prefeitura, “assegurar ao cidadão o direito constitucional de viver em um ambiente ecologicamente equilibrado”. 

Ao longo dos 120 dias, todo o processo será monitorado pelas secretarias municipais de Serviços Urbanos e Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano que, além de um acompanhamento físico, terão a responsabilidade de criar um banco de imagens, em que será possível fazer uma avaliação mensal do andamento do serviço. 

Também está sob a incumbência das pastas a cobrança para que as normas estabelecidas no termo de compromisso sejam, rigorosamente, cumpridas. Os valores investidos para a realização da limpeza e reordenamento serão todos efetuados pelas empresas privadas, não gerando dessa forma qualquer custo à prefeitura. 

“Após uma série de reuniões, conseguimos trazer as empresas de telecomunicações para dentro desse procedimento e nos comprometemos de entregar esse quadrilátero central. A Energisa já está mobilizando sua equipe e em 120 dias vamos promover essa adequação”, frisou o diretor-presidente da Energisa/MT, Riberto José Barbanera. 

Diário de Cuiabá

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!