data
-- Hora Certa:
Grupo incentiva reflexão e conquista população com cartazes
03/11/2016 - 9h10 em Cultura

O projeto Clichês Na Rua espalham cartazes com frases, pensamentos e poemas.

Aguçar a reflexão voltada para o amor ao próximo e a si mesmo. Essa é a intenção do projeto Clichês Na Rua, que há quase um ano espalha cartazes com frases, pensamentos e poemas em Cuiabá.

 

Foi em outubro de 2015 que Luane Brandão, Talissa Briante e Thiago Azevedo começaram a idealizar o projeto, após a moda dos “lambe-lambe” – como são chamados os cartazes – começarem a ganhar destaque nas grandes cidades do país, como Rio de Janeiro e São Paulo.

 

Ao MidiaNews, Talissa e Thiago contaram um pouco mais sobre o projeto que vem ganhando a cidade.

 

“São manifestações de amor em forma de poemas. A gente espera que essa atitude renove a mente das pessoas que se deparam com as mensagens, que leiam e sejam impactados. E mais, que mudem a forma de pensar e agir, consequentemente”, disse a administradora Talissa, 27 anos.

 

Ela lembrou ainda que o nome Clichês Na Rua veio, após uma conversa do trio. “Hoje, tudo que fala de amor, paz e solidariedade virou meio que um clichê, mas nós queremos dizer que não, que é uma atitude para renovar a mente”.

 

As mensagens são impressas em papeis recicláveis e coladas – com uma mistura de água e cola – em postes, paredes e pontos de ônibus, com a ajuda de uma esponja. Os locais escolhidos geralmente apresentam grande fluxo de pessoas.

 

Os “clichês” podem ser vistos no Centro de Cuiabá, Arena Pantanal, UFMT, Praça Popular e em outros pontos da cidade. A intenção do grupo é de que as mensagens comecem a chegar até os bairros mais distantes da região central.

Ednilson Aguiar/Midia News

Espalhando Amor

A ideologia que os jovens abraçam reflete ao projeto desenvolvido

 

Thiago, de 27, que é estudante de Engenharia Civil e empreendedor, explicou que eles fazem aquilo em que acreditam. “E é isso que nos move para ter dedicação ao projeto”.

 

“Como cristão, eu creio que a pessoa que tem o caráter de Cristo, tem que buscar sempre ser o mais correto socialmente e mudar o ambiente. A ética social tem raiz cristã, tá na base do cristianismo. Uma pessoa que visa isso consegue mudar o ambiente”.

 

Segundo Thiago, para eles, o projeto é incentivar as pessoas a mudar o ambiente.

 

“Buscamos ser essas pessoas. Não nos achamos e nem somos melhores que os outros, somos comuns e queremos expressar isso”, disse.

 

Do coração para o papel

 

Foi em um ponto de ônibus, localizado no começo da Avenida Getúlio Vargas, que uma “lambe-lambe” deu o primeiro feed-back ao grupo.

 

“Foi um cartaz com a frase ‘calma, ainda há tempo’. Nós colamos lá por contra do fluxo de pessoas que passam no local. Um dia, uma moça mandou mensagem no Facebook do Clichês na Rua, dizendo que um dia estava com pressa e que leu a mensagem que a fez refletir sobre o que ela estava fazendo. Isso é o que queremos”, disse Talissa.

 

As frases vão surgindo conforme a inspiração do grupo. “São frases que criamos, versículos bíblicos, trechos de músicas e até sugestões de amigos. Vamos abrindo a cabeça para as frases, até a de senso comum vai”.

 

O público alvo vai desde os adolescentes até adultos de 54 anos. A prova disso é o número de pessoas que costumam entrar em contato com o grupo.

 

Outra frase criada pelo grupo reflete o clima nos últimos dias em Cuiabá. ‘O dia não está frio, nem quente. Está lindo!”.

 

“Essa frase me impactou. Toda vez que está quente, eu tento não reclamar. Então, eu sempre lembro, não tá quente, tá lindo”, ri Talissa.

 

“É muito bom tudo isso que o projeto nos proporciona. Ele nos esforça a crescer” lembrou Thiago, que cita exemplos de gestão de trabalho voltada a igualdade dos funcionários.

 

“Não sou socialista, mas quero o bem do próximo da mesma maneira que eu”.

 

Alcance social

Ednilson Aguiar/Midia News

Espalhando Amor

O sucesso das ações, segundo o grupo, está no fato de expressarem o que muitos gostariam de dizer

 

Agora, o projeto quer abraçar os bairros distantes da cidade e entrar de cabeça – e de coração – em projetos sociais.

 

“Estivemos conversando sobre o Bairro CPA II, lá tem uma clínica popular, que seria interessante trabalhar com as frases”, lembrou.

 

Até agora, o grupo já participou de intervenções em duas escolas, sendo uma na Capital e outra em Santo Antônio do Leverger.

 

“Chegamos pedindo para os estudantes escreverem algo sobre o amor. É legal levar isso aos adolescentes, pois eles conseguem trazer para fora o que sentem”, disse Talissa.

 

Thiago defende que colocar no papel qualquer tipo de reflexão e sentimento é mais fácil. “Todo mundo tem medo da forma com que essas emoções serão recebidas – seja uma declaração, um pensamento, um sentimento.Por isso, acho que os cartazes fazem tanto sucesso. A gente expressa o que muitos querem expressar”.

 

Para os dois, o projeto tomou proporções que os fizeram crescer como seres humanos. “Temos que tirar um proveito de tudo que nos acontece. Precisamos crescer como ser humano. Estamos aqui só de passagem, bobeira nossa passar por situações e não extrair algo para nós mesmos”.

 

Nas redes sociais

 

O projeto Clichês Na Rua está no Facebook e no Instagram. O grupo aceita ajuda de pessoas que queiram compartilhar amor em forma de palavras. No entanto, devem compartilhar dos mesmos sentimentos.

 

Fonte: Midianews

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!