Wagner Moura critica "circo midiatico" promovida pela justiça brasileira
17/03/2016 08:56 em Politíca

Em vídeo publicado nas redes sociais, Wagner Moura critica o uso de investigações na Justiça como massa de manobra para disputas políticas: “Sou a favor das investigações, mas sou mais a favor da democracia de um estado de direito”

O ator Wagner Moura divulgou na noite dessa terça-feira, em sua página no Facebook, um vídeo em que critica aquilo que ele classificou como “dicotomia pobre” do debate político no Brasil e o uso das investigações como “massa de manobra para a disputa política”.

Na declaração de quase três minutos, Moura afirma que “hoje em dia no Brasil existem apenas dois lados: qualquer um que tente olhar as coisas de forma mais objetiva é colocado como alguém que está em cima do muro. Ou você é coxinha, ou você é petralha, não tem muito o que fazer”.

Segundo o artista, o país passa por um dos momentos mais delicados de sua história. Em sua avaliação, o Judiciário tem sido usado para influenciar o cenário político. “Quero que políticos corruptos sejam investigados, presos, julgados e condenados, mas quero que tudo aconteça de forma democrática, que sigam os ritos democráticos, a Constituição e o Código Penal brasileiro”, defendeu. “Me preocupam essas prisões midiáticas, me preocupa que a Justiça brasileira esteja trabalhando sob influência de uma agenda política, ou do circo midiático”, disse.

Ainda de acordo com Wagner Moura não se pode tratar a corrupção como se fosse exclusiva de um partido político. “Há um ódio político no ar muito grande. Não consigo mais conversar com meus amigos que odeiam o PT e acham que tudo é válido para tirar o PT do poder, como se a corrupção no Brasil morasse num partido só.”

No final da gravação, Wagner ressalta que é a favor das investigações, com respeito à democracia. “Sou a favor das investigações, mas sou mais a favor da democracia. Por uma investigação desprovida de ódio político e pela defesa da democracia e do Estado de Direito”.

Wagner Moura é conhecido por seu engajamento político e por sua proximidade com lideranças do Psol, como o deputado federal Jean Wyllys (RJ) e o deputado estadual Marcelo Freixo (RJ), seus amigos pessoais. Em 2010, apoiou a candidatura presidencial de Marina Silva. Neste ano o ator vai integrar o Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, mais conhecido como Conselhão, do governo federal. Com 92 integrantes, o colegiado é composto por representantes da sociedade civil, empregadores e empregados e deve atuar como órgão de assessoramento da Presidência.

Confira o vídeo:

 

https://www.facebook.com/oficialwagnermoura/videos/467693933436268/

 

COMENTÁRIOS