É preciso mobilizar toda população contra Jair Bolsonaro
28/02/2020 07:44 em Artigo

 

Vanessa Grazziotin

Ex-senadora da República e membro do Comitê Central do PCdoB.

Na terça-feira (25), último dia de carnaval, o Brasil inteiro foi surpreendido com mais uma manifestação deplorável do presidente da República, senhor Jair Bolsonaro (sem partido). 

Uma manifestação não só deplorável desta vez, mas um atentado contra à nossa democracia e contra a Constituição Brasileira. 

O fato é que uma jornalista, ainda na terça-feira de carnaval, publicizou que o presidente Jair Bolsonaro estava repassando a grupos de Whatsapp, dos quais participa, vídeos para a mobilização que eles programam para o próximo dia 15 de março. 

Ocorre que essa manifestação do dia 15 de março não é apenas uma manifestação chamada e organizada pela extrema direita em apoio a Bolsonaro. Essa é uma manifestação contrária à democracia, por ser contrária ao Poder Judiciário e, principalmente, ao Poder Legislativo. 

É óbvio que essa manifestação não é uma manifestação democrática. E muitos ainda dizem "qual é o problema? A Carta Magna brasileira prevê a liberdade de expressão, organização e de manifestação". 

É fato, a Constituição da República prevê liberdades amplas de pensamento, de manifestação. O que a Constituição não prevê e que ainda determina como crime, são manifestações e atentados aos poderes constituídos e à própria democracia. 

E o que este ato, que é da extrema-direita apoiadora de Bolsonaro no Brasil está chamando, é exatamente uma manifestação contra o Congresso Nacional e contra o Poder Judiciário. 

Frente a esta barbaridade, os partidos políticos se mobilizam. Não apenas os partidos políticos de esquerda, mas os partidos políticos que defendem e entendem a importância da democracia em nosso país. 

No próximo dia 3 de março, haverá uma reunião em Brasília com os presidentes partidários. As bancadas também se mobilizam contra tudo isso que está acontecendo. Muitas pessoas, autoridades, intelectuais, entidades, se manifestaram contra mais este absurdo de Jair Bolsonaro. 

As Centrais Sindicais se uniram, o presidente da Camara, o presidente do Senado, o presidente do Supremo, parlamentares de forma geral, todos manifestando-se contrários à posição de Jair Bolsonaro. 

O que o fez recuar, pelo menos publicamente, dizendo que ele estava apenas repassando uma mensagem para amigos. Ora, ele sabe o tamanho da gravidade e da bobagem que ele está fazendo. 

Mas agora, de nosso lado, é preciso que tenhamos claro que não basta apenas notas de repúdio. Não basta apenas retrucar com palavras, apontar ou mostrar a atitude antidemocrática do presidente. 

É preciso que todos tenhamos clara a necessidade de uma mobilização, de uma presença maior da população nas ruas. Porque é exatamente isso que faz Jair Bolsonaro. E não é a primeira vez. Nós passamos o ano de 2019 assistindo inúmeras ameaças deste presidente contra a nossa democracia, inclusive chamando atos muito semelhantes a este que está sendo organizado agora. 

Atos contra o Supremo, contra o Congresso Nacional, atos em favor do AI-5, atos em favor de ditaduras militares. Então, de nosso lado, nós também precisamos mobilizar todos os democratas. E não apenas aqueles filiados, os militantes, sindicalistas, militantes de entidades estudantis. 

Não, nós temos que chamar a população de forma geral e todos aqueles que defendem a democracia e sabem que o nosso desenvolvimento e a superação da nossa crise passa, necessariamente, por decisões políticas e pela política. Então, o pior mal que nós poderíamos sofrer hoje era um fechamento do Regime.

E Jair Bolsonaro já tem tentado isso há muito tempo. Ele vai medindo o clima, a temperatura porque, no fundo, o seu desejo maior é exatamente governar sob a égide de um governo ditatorial. 

Portanto, temos à frente grandes manifestações. Dia 8, Dia Internacional da Mulher, devemos ir às ruas, não apenas mulheres, homens também. Dia 14 de março, são dois anos da morte de Marielle e também devemos ter manifestações de rua.

No dia 18 de março será a grande manifestação em defesa da Educação. A Greve Geral da Educação, que é mais um momento importante para dizer não ao Bolsonaro, sim à democracia e sim ao desenvolvimento do nosso país. 

Artigo Publicado no Brasil de Fato.

 

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!