CPI da Covid aprova convocação de Mandetta, Teich, Pazuello e Queiroga
29/04/2021 11:21 em Politíca

Antônio Barros Torres, presidente da Anvisa, também será ouvido; sessão é marcada por tentativas de protelação.

Os senadores que fazem parte da CPI da Covid aprovaram a convocação dos ex-ministros da Saúde Luiz Henrique Mandetta, Nelson Teich, Eduardo Pazuello e do atual ministro Marcelo Queiroga em sessão nesta quinta-feira (29) para analisar o plano de trabalho da comissão.

Além do ex-mandatário da pasta, o presidente da Anvisa,  Antônio Barros Torres, também foi convocado.

A ordem das interrogações será a seguinte: Luiz Henrique Mandetta e Nelson Teich serão escutados na terça-feira (4); Eduardo Pazuello na quarta-feira (4) e o atual ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e o Antônio Barros Torres, presidente da Anvisa, na quinta-feira (6).

Governistas tentam travar CPI

Na abertura da CPI da Pandemia, que já começou com 35 minutos de atraso, o senador Marcos Rogério (DEM-RO) solicitou a palavra para pedir que a Comissão funcione apensas presencialmente. "Se quer que a CPI cumpra sua missão constitucional, que ela funcione presencialmente, ou estaremos cometendo uma fraude com o povo brasileiro”. 

Renan Calheiros, relator da CPI, chamou a atenção de Rogério. “Estamos diante de uma evidente obstrução. Essa comissão deveria ter sido instalada em fevereiro, os senhores e o governo não quiseram a instalação. Hoje, nós chegaremos a 400 mil mortos”, pontuou. "Vocês só querem atrasar nosso trabalho".

Rogério Carvalho (PT-SE) também ponderou: “Hoje, só há uma situação em que se questiona o trabalho remoto da Justiça brasileira, que é a audiência de custódia. Portanto, todo o resto da Justiça brasileira tem funcionado de maneira remota. Portanto, esses argumentos, no momento de pandemia, eles não se sustentam", disse.

A discussão sobre a questão de ordem levantanda pelo senador Marcos Rogério durou 50 minutos. Calheiros voltou a chamar a atenção dos governistas. "Essa coisa de tropa de choque vir aqui defender coisa indefensável do governo, não vai passar", bradou o senador. 

Governo quer que aliados sejam ouvidos

Via os senadores Jorginho Mello (PL-SC) e Ciro Nogueira (PP-PI), o governo federal apresentou cinco requerimentos de convocação de técnicos que defendem o tratamento precoce e criticam o lockdown. A médica Nise Yamaguchi, aliada de Bolsonaro, que chegou a ser cogitada para o Ministério da Saúde, está entre as depoentes.

Presidente da CPI da Pandemia, Omar Aziz determinou um intervalo. No retorno, os senadores votarão os 266 requerimentos registrados na comissão.

Brasil de Fato.

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!